Enciclopédia do chá

30-09-2012 12:34

 

O chá é a segunda bebida mais consumida do mundo, perde só para a água. Datada de mais de 2.000 anos, surgiu na China como forma de homenagem aos imperadores. Mas foi na Inglaterra, no fim do século XVIII, que a bebida ocidentalizou-se devido à Revolução Industrial.

No Brasil, as bebidas derivadas de plantas e ervas passaram por uma transformação: de remédio da vovó para combater gripes, resfriados e cólicas, tornaram-se bebidas sofisticadas e muito apreciadas. Vale ressaltar que nem tudo é chá. “A bebida pode ser chamada assim apenas quando se utilizam as folhas e/ou botões da planta Camellia sinensis. Os tipos são determinados pelo grau de oxidação das folhas, sendo os principais o preto, o branco e o 
verde
, além do oolong, que é semifermentado. Quanto maior o tempo de oxidação, mais encorpado é o chá”, conta Paula Simonsen, especialista do hotel Emiliano, em São Paulo. A bebida feita com ervas, como a camomila, a mate, o capim-limão, o boldo, são na realidade infusões.Variedade de ervas para a produção de chá


O sucesso do chá vem à prova com o mercado de luxo, cheio de blends e versões gourmets (veja o significado no infográfico abaixo). Restaurantes e lojas especializadas passaram a oferecer safras raras e versões de alta qualidade vindas da Índia, da China e do Sri Lanka, elevando os preços. “O blend mais vendido na loja é o Earl Gray, um chá preto com óleo de bergamota”, diz Carla Saueressig, especialista e proprietária d´A Loja do Chá Tee Gschwendner.

Você se empolgou e quer se aventurar por novos sabores? Os chás-verdes aromatizados, bem florais, são mais fáceis de apreciar, por isso são indicados para iniciantes. Eles combinam muito bem com comidas leves, como peixes e frangos, além de bolos com frutas. “Já para o preto Lapsang Souchong, por exemplo, um exótico chá chinês defumado e aromatizado, a indicação é a de pratos salgados e gordurosos. Um de seus acompanhamentos é o sanduíche de salmão e cream cheese no pão preto”, sugere Paula. 

 

Acerte na preparação

Preparar um chá ou uma infusão de ervas não é difícil, mas requer alguns cuidados para que o sabor e o aroma sejam preservados. As especialistas Carla Saueressig, dona d´A Loja do Chá Tee Gschwendner, e Paula Simonsen, do Hotel Emiliano, revelam os segredos: 

- A versão a granel é muito mais aromática e saborosa que a de saquinho, apesar da sua praticidade. “Na maioria das vezes o papel tem cloro e o sabor é passado para a bebida”, conta Carla. 

- Não use um bule de alumínio ou inox. Opte por um de vidro, cerâmica ou ferro. 

- Os materiais mais aconselhados para apreciar a bebida são o vidro ou a porcelana. 


- Usar o tamanho certo de infusor para as versões a granel é importante. Ele pode ser de aço inoxidável, algodão cru orgânico, bambu e papel. 

- Respeite o modo de preparo de cada tipo de chá ou de infusão. Segundo Paula, deve-se utilizar a quantidade exata de ervas, com a temperatura controlada e o tempo de infusão correto. “A água muito quente pode queimar a folha; se o chá ficar muito tempo em infus
ão, o tanino é liberado e ele amarga.” 


- “Como em qualquer bebida, o açúcar altera o sabor. Para os apreciadores ou degustadores, não é aconselhável. No entanto, caso a pessoa sinta necessidade, sugiro o mel por interferir menos no sabor do chá”, diz Paula. Já Carla é enfática: o importante é ter prazer, usando açúcar ou não. 


- O calor ideal do chá ou da infusão não queima os lábios. 

- Na hora de preparar a versão gelada da bebida, faça uma infusão forte e adicione água fria ou gelo. 

- O famoso chá preto com leite deve ser feito apenas com um gole de leite frio – nunca quente, pois altera o sabor.

 

 

 Texto de: Cristiane Senna. Design Maycon Silva. Fonte: Casa e Jardim. Disponível em: http://revistacasaejardim.globo.com/Revista/Common/0,,EMI164823-18069,00-ENCICLOPEDIA+DO+CHA.html